This project intends to open and explore new perspectives on the cultural manifestations in the city of Évora and their term, through the study and analysis of the diverse musical activity during the chronological period between 1540 and 1910; it pretends to contribute to an effective patrimonialisation of Évora’s soundscape, which is very rich.

Évora was one of the most important Portuguese musical centers, with an activity that was, until the end of the Ancien Regime, dominated by more than twenty religious institutions – secular and monastic-conventual – inside and outside walls. A central core, around the Giraldo Square, which included the Cathedral, with the Chapel and the Choir Boys College, involving also the collegial church of Santo Antão and S. Tiago Church, and even five convents, alongside another institutions such as the Espírito Santo Jesuit College. Outside walls we can find the monastery of São Bento de Cástris, Cartuxa, and Santo António da Piedade, among others. Music in these institutions was a constant during the day , constituting an interesting effect that refers to the disembodied voices through sounds spreading through the streets (also such as bells). In this setting, flourished a group of polyphonic composers of superlative quality during the 16h and 17th centuries.

A certain artistic-cultural cosmopolitanism, confirmed by the circulation of foreign musicians, has  also  been  verified  in  Évora,  a  city  of  manifest  political  and  religious  importance.  In  the  19th  century ,  given  the historical circumstances associated to the victory of Liberalism, local corporations such as the Eborense Circle (1837) or the Civilizing Society União Eborense (1839) emerged. The notion of soundscapes that has been gaining relevance in the international musicology allows the understanding of the musical reality based on a wide-ranging contextual perspective, contrary to the approach focused only on one composer , or some other restrict aspect. It allows also to rebuild contexts, circuits and transits, and to map the presence of both music and musicians.

A further aim of the project is the elaboration of a digital platform that gathers the information in several formats and allows the creation of thematic roadmaps, so that the user can travel through the city following a certain theme, such as the church organs, or religious historical circuits, like for example the procession of Senhor Jesus dos Passos.


O Projecto pretende abrir e explorar novas perspectivas sobre as manifestações culturais no burgo eborense e seu termo através do estudo e an·lise da actividade musical múltipla no período cronológico entre 1540 e 1910; pretende contribuir para uma efectiva patrimonialização da paisagem sonora histórica em Évora, dada a sua riqueza.

Évora foi um dos mais importantes centros musicais portugueses, com uma actividade que, até ao final do Antigo Regime (c.1820) se viu dominada pelas instituições religiosas seculares e monástico-conventuais intramuros e extramuros que eram mais de duas dezenas. Um núcleo central circundando a Praça do Giraldo que englobava a Sé, com a Capela e o Colégio dos Moços do Coro, envolvendo também a igreja colegiada de Santo Antão e igreja de S. Tiago, e ainda cinco conventos, para além de outras instituições como o Colégio jesuíta do Espírito Santo. Na zona extramuros encontramos o mosteiro de S. Bento de Cástris, do Espinheiro, da Cartuxa e de Santo António da Piedade, entre outras. A música nestas instituições era uma constante durante o dia, constituindo um interessante efeito que remete para a ideia de desembodied voices (vozes sem corpo) pelos sons (como os sinos) que se propagavam pelas ruas. Neste quadro floresceu um conjunto de compositores polifonistas de qualidade superlativa nos séculos XVI e XVII.

Um certo cosmopolitismo artístico-cultural comprovado pela circulação de músicos estrangeiros em todo o país, verificou-se também em Évora, uma cidade de manifesto peso político e religioso. No século XIX dadas as circunstâncias históricas associadas à vitória do liberalismo surgiram colectividades com outros tipos de actividade musical como o Círculo Eborense (1837) ou a Sociedade Civilizadora União Eborense (1839). A noção de paisagem musical (Soundscape) que tem vindo a ganhar relevância na musicologia internacional permite entender a realidade musical a partir de uma perspectiva contextual abrangente, contrariamente à leitura centrada num compositor, ou outro aspecto restrito. Permite reconstruir contextos, circuitos, trânsitos e cartografar a presençaa da música e dos músicos.

O projecto visa também a elaboração de uma plataforma digital que reúne a informação em diversos formatos e permite a criação de roteiros tem·ticos para que o utilizador se desloque pela cidade seguindo determinado tema, como p.e. os órgãos de igreja ou circuitos históricos de cariz religioso, como p. e. a procissão do Senhor Jesus dos Passos.

Este projecto integrador pretende contribuir para uma compreensão abrangente da cidade enquanto espaço cultural, explorando uma vivência sensorial do espaço urbano e do património. O projecto responde a relevantes desafios societais para as cidades do interior na medida em que articula – no quadro da valorização patrimonial – as vertentes de investigação consolidadas na universidade e o turismo cultural, que se constituem como esferas de primeira importância para a cidade de Évora no século XXI.